Secretaria Municipal de Saúde

Postado em 15 Janeiro 2019
por Ascom - AB
em Saúde
Acessos: 354

Janeiro Branco: Campanha de conscientização sobre saúde mental

O Janeiro Branco é uma campanha ainda recente, começou em 2014, no Estado de Minas Gerais e atualmente conta com colaboradores em diversos Estados e tem como objetivo mobilizar a sociedade em favor ao cuidado da saúde mental.

Com o propósito de convidar a população a discutir a importância do cuidado com a saúde mental em busca de mais felicidade e qualidade de vida. O mês de janeiro foi escolhido, pois representa, simbólica e culturalmente, um mês de renovação de esperanças e projetos na vida das pessoas.

Muitas vezes, ao fim de cada ano, fazemos avaliações de como foi o ano que passou e de como queremos que o próximo seja, e a campanha propõe o debate e o planejamento de ações em prol de sua saúde mental. Com a campanha pretende-se difundir um conceito ampliado de saúde mental e saúde emocional, como um estado de equilíbrio.

A conscientização se faz imprescindível uma vez que os cuidados com a saúde mental ainda são alvo de preconceito. Atualmente, vivemos em um período em que hipervalorizamos as aparências. Buscamos aparentar que estamos sempre bem, e buscar ajuda profissional poderia ser um sinal de fraqueza. Além disso, o pouco conhecimento sobre o que é e para que serve a psicologia, apenas aumenta este preconceito. Cuidar da saúde mental é autoconhecimento, é evitar doenças e criar estratégias de como lidar com as diversas situações da vida.

O que levará cada pessoa a buscar ajuda profissional é muito particular, já que cada pessoa vive e interpreta experiências de modo particular. Porém, o principal sinal de alerta é quando percebemos que, por algum motivo não estamos nos sentindo bem. Muitas vezes somos consumidos por estresse, tristeza, dificuldade nas relações, desânimo; e a terapia pode ajudar a nos sentir melhor e a descobrir como lidar com tais dificuldades. A terapia apenas nos enriquece como pessoa. Nos ajuda a lidar melhor com os outros, com o mundo e principalmente com nós mesmos. Aprendemos a superar nossas dificuldades, e principalmente, a identificar e aprender a lidar com nossas emoções.

Quando falamos em saúde do corpo, todos aceitam o cuidado preventivo, faz sentido cuidar do corpo para que ele não adoeça, não é mesmo? Mas, e da mente? Por que a mente só recebe atenção e cuidados quando a coisa já está “no fundo do poço”? Quando fazemos uma atividade física para promover a saúde do nosso corpo, colocamos um bom tênis, para que nosso joelho não sofra com o impacto, mas e o impacto diário em nossa vida emocional? O estresse, os problemas familiares, nossas inseguranças e medos? Parece mais do que justo que cuidemos daquilo que controla todo o nosso corpo, pois o corpo pode estar bem, mas se a cabeça vai mal, tudo vai mal.

“Quem cuida da mente, cuida da vida; quem cuida das emoções cuida da humanidade; quem cuida de si, cuida do outro; autoconhecimento: isso também tem a ver com a sua saúde mental; o que você não resolve na sua mente, o corpo transforma em doenças”.

Buscar ajuda não significa ser fraco ou perder o controle de sua vida, pelo contrário, significa manter-se no controle, significa compreender o que te fragiliza e buscar formas de lidar com isso. Fonte CAPS I VIDA NOVA

 

 

Para maiores informações: Procure a Unidade de Saúde mais próxima.

  • ESF’s – Estratégias de Saúde da Família.
  • Ambulatório de Psicologia – Centro Municipal de Saúde.
  • CAPS I VIDA NOVA – Centro de Atenção Psicossocial.